quarta-feira, 30 de junho de 2010

Sem promessas.


Não precisa vir me prometendo o mundo, até porque eu não estou afim de criar expectativas. Que a chegada venha de mansinho ou seja avassaladora, mas eu quero o momento, o agora. Não quero e nem preciso que seja eterno, a eternidade é tempo demais pra mim. Não acredito mais em contos de fada. Então, sem promessas, só o calor, vamos viver já, sem nos preocupar com o amanhã.

3 comentários:

  1. Maiara, poucas e perfeitas palavras!!!
    Adorei. Vou twittá-las, com os devidos créditos, ok?

    Beijo, querida!

    ResponderExcluir