segunda-feira, 21 de junho de 2010

Me pegunto


O que faz um poeta quando não escreve? E forneço a resposta, vive!
Talvez não me considere uma, mas foi isso que andei fazendo, por isso a ausência aqui. Ando aproveitando um pouquinho das coisas que a vida tem de melhor, coisas simples, os amigos, sorrir, dançar, chorar... Tenho vivido, e como sempre quis, intensamente! Nem sempre as coisas dão certo, mas se fosse assim juro que não teria graça. É assim que a vida se transforma no mais incrível espetáculo. Nela, o mocinho nem sempre é mocinho, a propósito, não existem mocinhos nem vilões, existem pessoas de carne e osso, que erram, aprendem, que sofrem, amam, erram novamente e continuam aí, passando por tudo como um círculo vicioso do qual insistimos em passar sempre, do qual faz parte de nossa natureza. Essa, apresento a vocês, se chama vida, e pra ela devemos dar todo o valor do mundo, pois nada mais é, do que o que de mais valioso possuímos!

4 comentários:

  1. A vida é a inspiração dos que escrevem.

    Beijos meus.

    ResponderExcluir
  2. A vida é única e preciosa, por isso devemos aproveitá-la ao máximo...

    Bjs =)

    ResponderExcluir
  3. Amei o texto , e acho que essas palavras podem se encaixar em mim no momento , sem a parte do poeta! rsrsrsrs
    Nao vou abandonar nao...e amo saber que alguem esta a espera de ler o que eu escreve... principalmente pq so escrevo besteiras... rsrs
    As provas vao me devorar... rsrs
    Beeijos fofa.

    ResponderExcluir